sábado, 5 de dezembro de 2009

Um dos Mestres


Hoje, lual de Nando Reis no Cabanga- há como eu queria estar lá...

[No Recreio- Nando Reis]
"Quer saber quando te olhei na piscina se apoiando com as mãos na borda fervendo a água que não era tão fria e um azulejo se partiu porque a porta do nosso amor estava se abrindo e os pés que irão por esse caminho vão terminar no altar Eu só queria me casar com alguém igual a você E alguém igual não há de ter então quero mudar de lugar eu quero estar no lugar da sala pra te receber na cor do esmalte que você vai escolher só para as unhas pintar quando é que você vai sacar que o vão que fazem suas mão sé só porque você não está comigo? só é possível te amar... seus pés se espalham em fivela e sandália e o chão se abre por dois sorrisos virão guiando o seu corpo que é praia de um escândalo, charme macio que cor terá se derreter? que som os lábios vão morder? vem me ensinar a falar vem me ensinar ter você na minha boca agora mora o teu nome é a vista que os meus olhos querem ter sem precisar procurar nem descansar e adormecer não quero acreditar que vou gastar desse modo a vida olhar pro sol, só ver janela e cortina no meu coração fiz um lar o meu coração é o teu lar e de que me adianta tanta mobília se você não está comigo? só é possível te amar ouve os sinos, amor só é possível te amar escorre aos litros o amor."

segunda-feira, 25 de maio de 2009

(...) uma rotina



Transe de violência Vaidade demente Guerras à nossa espreita Restos à nossa frente Que ferramenta Eu uso pra viver? Como é que eu faço Pra ajudar você? Desligo a TV Pra que as crianças Não achem normal Todo dia matar, morrer Mas sobre o futuro, o que eu vou dizer? Alguém aqui acredita Que não tem nada com isso? Será que nada tem vínculo Tudo é por acaso? Mas quem é que joga os dados Deus ou seus diabos? Quem decide qual o lado abençoado? Deus ou seus diabos? Será que nenhum de vocês Sabe falar português? Então, em nome da nossa dor Eu exijo um tradutor Alguém de carne e osso Alguém em quem se possa confiar um pouco Eu quero menos abandono, mais cuidado Cristo Redentor Eu vi seus braços cruzados, tudo é ilusão Ando pelas ruas tem de tudo, menos solução Fecho os vidros, fecho a casa Mas a alma não tem trinco, tá escancarada Fecho a minha roupa, fecho a minha cara Mas a alma não tem trinco Nem defesa, nem nada.

[BRAÇOS CRUZADOS- ZÉLIA DUNCAN]

quarta-feira, 13 de maio de 2009

CONCURSO DE CURTAS- METRAGENS [UNIVERSO]


Você é criativo e gosta de mostrar suas habilidades?Vem aí a 1ª edição do Curta Vida em 60”. Um concurso que irá premiar vídeos com o tema Gastronomia.
Que cores, sabores, aromas e estilo tem a culinária para você?
Então, ouse em seus molhos e temperos ou batidas de panelas e mostre do que é capaz. O primeiro colocado leva para casa o Troféu Curta.Você tem até o dia 15 de maio de 2009 para enviar seu vídeo e serão validados mediante o pagamento de R$10,00. Inscreva-se e ponha o seu olhar à mesa.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

VII Encontro de Comunicação UNIVERSO



video


Olá, estou divulgando aqui um mega evento que o 3° período do Curso de Publicidade e Propaganda da UNIVERSO (minha turma) está realizando, repassem para o maior número de pessoas possíveis, está bastante interessante a programação.


http://www.7encontrodecomunicacao.blogspot.com/ passem lá e se informem melhor, qualquer dúvida pode escrever um comentário nesta postagem que eu respondo.


Grata,


Evelyn Leal



terça-feira, 17 de março de 2009

...Essa é a verdadeira experiência da liberdade...

" Se eu tivesse que contar hoje minha vida para alguém, poderia fazê-lo de tal maneira que iriam me achar uma mulher independente, corajosa e feliz. Nada disso: estou proibida de mencionar a única palavra que é muito mais importante que os onze minutos - amor.
Durante toda minha vida, entendi o amor como uma espécie de escravidão consentida. É mentira: a liberdade só existe quando ele está presente. Quem se entrega totalmente, quem se sente livre, ama o próximo.
E quem ama o máximo sente-se livre.
Por causa disso, apesar de tudo que posso viver, fazer, descobrir, nada tem sentido. Espero que este tempo passe rápido, para que eu possa voltar à busca de mim mesma - refletida em um homem que me entenda, que não me faça sofrer.
Mas que bobagem é esse que estou dizendo? No amor, ninguém pode machucar ninguém; cada um de nós é responsável por aquilo que sente, e não podemos culpar o outro por isso.
Já me senti ferida quando perdi os homens pelos quais me apaixonei. Hoje estou convencida de que ninguém perde ninguém, porque ninguém possui ninguém.
Essa é a verdadeira experiência da liberdade: ter a coisa mais importante do mundo, sem possuí-la".

[Do diário de Maria, em um dia em que estava menstruada e não podia 'trabalhar', Livro de Paulo Coelho - Onze Minutos]


segunda-feira, 16 de março de 2009

Se descubra, viva...

Olá, me apresento com essa letra de música de Zeca Baleiro que é bastante interessante e reflexiva, se chama Bandeira...
"Eu não quero ver você cuspindo ódio Eu não quero ver você fumando ópio pra sarar a dor Eu não quero ver você chorar veneno Não quero beber o teu café pequeno Eu não quero isso, seja lá o que isso for Eu não quero aquele, eu não quero aquilo, Peixe na boca do crocodilo Braço na Vênus de Milo acenando tchau. Não quero medir a altura do tombo Nem passar agosto esperando setembro Se bem me lembro O melhor futuro, este hoje escuro O maior desejo da boca é o beijo Eu não quero ter o Tejo me escorrendo das mãos Quero a Guanabara, quero o rio Nilo, Quero tudo ter estrela, flor, estilo Tua língua em meu mamilo, água e sal Nada tenho, vez em quando tudo Tudo quero mais ou menos quando Vida, vida noves fora zero Quero viver, quero ouvir, quero ver (se é assim, quero sim... acho que vim pra te ver)".